Atividade Física

Atividade física: essencial para quem tem lúpus

Os avanços das pesquisas sobre o lúpus eritematoso sistêmico (LES) têm disponibilizado novos tratamentos e medicamentos para os pacientes, garantindo mais qualidade de vida1.

Quem tem a doença que, em alguns casos, pode afetar o coração, precisa manter um controle rigoroso dos índices de colesterol, da pressão, do não consumo de álcool e tabaco, e prevenir também o diabetes, a osteoporose e a obesidade, dentre outros cuidados essenciais1.

Por isso, fazer exercícios físicos regulares pode contribuir para esse controle, além de melhorar consideravelmente o condicionamento físico dos pacientes. No entanto, é importante ressaltar que, nos períodos de atividade do LES, o paciente deve repousar1, 2, 3.

Algumas orientações importantes

Antes de qualquer coisa, o paciente com LES tem de consultar o médico para passar por um exame clínico completo que avalie suas condições cardíacas e pulmonares. É importante, também, que ele relate ao profissional doenças anteriores, histórico de patologias da família e possíveis sintomas, como falta de ar e palpitações, sentidas durante a realização de atividades físicas1.

Pode ser que o médico peça alguns exames complementares (hemograma, velocidade de hemossedimentação - VHS, anti-dsDNA, glicemia em jejum, creatinina, urina1, eletrocardiograma, teste ergométrico, dentre outros) que verificam se a doença está ou não ativa1.

Durante a prática das atividades ao ar livre, é essencial que o paciente proteja-se do sol e evite o período entre 9 h e 15 h1, 2, 3. Essas e outras orientações para se proteger dos raios ultravioletas, você encontra em Raios ultravioletas: quanto menos, melhor.

Outras dicas importantes durante os exercícios físicos são: usar roupas leves, claras e bem ventiladas e tênis confortáveis; estar alimentado, mas sem exageros; nunca praticar as atividades em jejum; hidratar-se antes, durante e depois da atividade física1.

Pacientes que utilizam anticoagulante oral devem evitar atividades que os exponham ao risco de traumas e de ferimentos, passíveis de sangramentos1.

Qual exercício eu posso praticar?

Não existe uma fórmula única. Cada pessoa tem seu limite e precisa respeitá-lo. Na escolha da atividade a ser feita, é importante você considerar sua capacidade funcional nas tarefas cotidianas (subir escada, lavar roupa, varrer a casa, caminhar, por exemplo) e uma frequência cardíaca adequada ao seu condicionamento, que pode ser definida por um educador físico ou pelo teste ergoespirométrico. Aliás, é fundamental que conte ao educador que você tem lúpus e relatar, caso exista, algum comprometimento motor causado pela doença1.

As possibilidades de atividades são muitas: desde caminhada, natação, hidroginástica à yoga, dança e musculação, cuja prática requer o teste de força máxima, que define a intensidade do exercício relacionada à frequência cardíaca ideal1.

Os resultados aparecem se a atividade for feita pelo menos três vezes por semana, durante 30 a 60 minutos por sessão. As sessões e o tempo delas você pode definir com o preparador físico1.

O mais importante é escolher uma atividade que lhe dê prazer, garantindo maior bem-estar e prevenindo-se das doenças relacionadas ao sedentarismo. Por isso, converse com seu médico e defina quais exercícios realizar, fazendo a sua parte para viver com mais qualidade de vida. Se quiser saber mais sobre o LES, acesse O que é lúpus.

Referências bibliográficas